Buscar
  • Texto e fotos: Isabel Duprat e Manoel Leão

Caminhando na praia no sul da Bahia


Preciosos momentos andando à beira da água, usufruindo e encantada por tudo que emanava daquela paisagem, visitam minha memória com doces lufadas de inspiração e saudade.

A praia, a falésia, a indecifrável cor do mar, a vegetação se defendendo nas escarpas, a restinga, pequenos rios correndo para o oceano fazendo na praia lagoas de água doce, nos fazem sentir completamente impactados e atraídos por este lugar. A força da natureza que se faz no conjunto destes elementos misturados e controversos tem um enorme efeito sobre nós, difícil de identificar. Muita beleza para digerir. A vivência desta paisagem te surpreende a cada caminhada. A cor das falésias que expõe suas múltiplas tonalidades nas encostas maltratadas pelo vento metaboliza-se sob as diferentes horas do dia e, sob o luar, são silhuetas escultóricas. O movimento das marés baixa, seca, cheia e cheia alta faz o mar subir e descer sob as ordens da lua, revelando recifes e corais magníficos ou encobrindo todos estes tesouros. As águas translúcidas no verão seco azulam infinitos tons e se turvam na estação chuvosa. As piscinas orgânicas que se formam com a argila que escorre das falésias quase como um concreto moldado pela água e pela areia, quanta inspiração! É possível imaginar algo tão genial? E além de tudo se enchem de água e peixes ao sabor das marés! É possível imaginar tudo isto na vida real? Uma paisagem que nos oferece todas as suas facetas e maravilhas generosamente.

Presenciar tudo isto nos mergulha numa profunda mistura de sensações que nem sempre te dão conforto, porque muito estimulantes, que nos apequenam e também nos engrandecem, e por isso mesmo é preciso preparo para toda esta beleza. Mas vão sempre nos fazer bem, por nos dar a conhecer.

< Voltar

#praia #marés #caminhada

37 visualizações